Dicas de Segurança para Condomínios

Polícia Militar de São Paulo

 

Capítulo 1 - Como deve ser a segurança de um Condomínio.

 

1.1 Barreiras físicas.

Para que haja uma segurança mais eficiente é necessário que suas instalações físicas estejam cercadas e o máximo possível fechadas.  Diante disto os condomínios devem possuir:

 

Obstáculos naturais ou artificiais (estruturais) que servem para impedir ou dificultar o acesso de pessoas estranhas em locais delimitados ou proibidos, e controlar os permitidos em um condomínio, além de proteger os seus pontos estratégicos e vulneráveis.

 

Dentre os mais usuais podemos citar: as barreiras perimetrais junto às divisas tais como vegetação, muros, cercas, concertinas, alambrados e ofendículos; cancelas, guaritas nas portarias, portões com eclusas, interfone, espelhos refletores (côncavos ou convexos), grades, portas internas ou intermediárias, passador de objetos, etc..

 

1.2 Iluminação.

É fundamental que as dependências do condomínio sejam bem iluminadas, a fim de desestimular a ação de infratores da lei.  Aconselha-se utilizar luminárias e holofotes, podendo ser complementado por sensores de presença.

 

1.3 Sinalização.

A sinalização pode ser visual, através de placas, sinais luminosos ou sonoros, ou ainda se utilizando dispositivos sonoros eletrônicos ou apitos, ou mesmo códigos e senhas convencionadas entre os condôminos e funcionários.

 

1.4. Sistemas Eletrônicos de Segurança em Condomínios.

O sistema de segurança ideal é aquele que promove a interação do homem com os equipamentos eletrônicos, a fim de que a coligação entre ambos possa promover um nível de proteção satisfatória. Atualmente no mercado, existem os mais variados números e tipos de equipamentos eletrônicos de segurança à disposição dos usuários, portanto, deve-se adquirir aqueles que mais se adaptem às necessidades do condomínio.

Destacaremos, a seguir, os sistemas e equipamentos eletrônicos de segurança mais utilizados em condomínios:

 

1.4.1. Sistemas de alarmes.

São equipamentos eletrônicos, sonoros ou não, que servem para alertar sobre situações incomuns em residências ou condomínios, tais como violação de procedimentos e locais, proteção contra roubos, furtos, alagamentos, incêndios, etc.

Esses sistemas se destacam com as seguintes características: alarme de intrusão; sensores de porta e janela, botões de pânico, infravermelho passivo e ativo, etc.

 

1.4.2. Cercas eletrificadas.

É um sistema que está sendo bem aceito em condomínios, pois inibe possíveis tentativas de intrusão pela ostensividade e pelo receio das descargas elétricas.

 

1.4.3. CFTV - Circuito Fechado de Televisão.

Através de câmeras com ou sem fio, instaladas em pontos estratégicos da residência ou do condomínio, cujas imagens devem ser gravadas, é possível se ter uma visualização de todo o ambiente.

A proteção ficará maior se as imagens também forem acessadas pelos condôminos.

 

1.4.4. Controle de Acesso Informatizado.

O Sistema de Controle de Acesso tem como objetivo principal efetuar o controle eletrônico do movimento de pessoas - funcionários e visitantes - dentro de áreas estratégicas dos condomínios. É bastante utilizado em condomínios comerciais.

 

1.4.5. Sistemas de Segurança Monitorados.

Sistemas monitorados oferecem serviço 24 horas, servem para reduzir riscos de intrusão, incêndios e, combinando-se vários circuitos, podem ser empregados como controle de acesso, CFTV (circuito fechado de TV) e até como segurança de informação.